Aos Araújo

Guardo na memória a figura de uma mulher doce, serena, firme, apaziguadora e cativante. Uma mãe amorosa e esposa dedicada, como rezam as melhores cartilhas das mulheres de sua geração e como são, especialmente, as mulheres do recôncavo baiano. Uma figura carismática que tinha sempre um sorriso a oferecer a quem lhe procurava. Que parecia ser munida de uma inabalável felicidade. Um ser radiante, esplêndido, que não terá dificuldades em ascender aos bons planos espirituais que o aguardam. Alguém que é efetivamente grande e atende pelo cognome de “Pequenita”…